CARREIRA CATEGORIAS DICAS NOTÍCIAS OZI VLOG PRODUÇÃO

CAMPANHAS E TRÁFEGO PARA CONSEGUIR MAIS CLIENTES

8 de maio de 2020

author:

CAMPANHAS E TRÁFEGO PARA CONSEGUIR MAIS CLIENTES

Fala galera! Tudo bem por aí? Para quem já atua no mercado audiovisual, existe algo que pode ajudar demais junto aos seus clientes: são as campanhas e estratégias de divulgação de conteúdo. Esta é uma atividade que vai além da sua profissão como videomaker, mas que soma um conjunto de habilidades muito importantes para alcançar os resultados que seus clientes procuram. Portanto, no post de hoje o assunto é tráfego!

O tráfego é a quantidade de pessoas que tem acesso ao seu site ou mesmo às suas redes sociais e que consome o seu conteúdo. Existem diversos tipos de estratégias de campanha você pode fazer para chegar em bons resultados.

Este é um assunto que muitos videomakers têm um certo receio de falar sobre, especialmente porque acham que não faz parte do trabalho. Entretanto, conhecer sobre campanhas e estratégias de divulgação é super importante para alavancar definitivamente a sua carreira.

Assista abaixo essa live no canal da OZI no YouTube em que Maurício Fonteles e Mario Lellis conversam sobre tráfego:

Estratégias de campanhas e tráfego para conseguir mais clientes

Em primeiro lugar, é importante entender para que funcionam as estratégias e campanhas de tráfego. Digamos que você produza um conteúdo incrível para as redes sociais e espere apenas resultados orgânicos, ou seja, sem injetar dinheiro em publicidade e anúncios.

Todo este material incrível que você produz e publica é entregue para apenas uma porcentagem das pessoas que acompanham as suas páginas, isso por conta do algoritmo que trabalha dessa forma em todas as redes sociais mais conhecidas hoje. Para aumentar esse percentual, existem variados tipos de campanhas com orientações geográficas e pessoais que indicam que tipo de pessoa deverá receber seu conteúdo.

Em outras palavras, o tráfego serve para mostrar de uma forma organizada e estruturada o conteúdo que você produz para as pessoas certas. É como contar a história e induzir o público por um roteiro que mais lhe agrada. Por exemplo: para as pessoas que já conhecem o seu trabalho, você mostra conteúdos mais novos; para quem não conhece, um vídeo introdutório; para quem já é cliente, uma novidade imperdível e assim por diante.

“O tráfego é basicamente uma busca eterna de tentar exibir o conteúdo que é criado para as pessoas certas na cadência e na forma certa direcionando elas pra história que elas tiverem que ter com a gente.”

–Mario Lellis

Investimento x dedicação pelo conteúdo

Se você assistiu a live acima, você viu Mario esclarecer que a OZI é uma empresa de conteúdo, com uma parte aberta (canal do YouTube, blog e redes sociais em geral) e uma parte paga (cursos e treinamentos). E quando existe essa clareza sobre o real negócio da empresa, fica mais fácil de tomar algumas decisões.

Em um dado momento da história da OZI, ele percebeu que se deixasse a disseminação do conteúdo à mercê da sorte ou do algoritmo das redes, é bem provável que fosse demorar tempo demais para começar a alcançar os objetivos traçados.

Por isso, ele começou a investir na distribuição paga com bastante cuidado e muita análise. “É impressionante como quando você começa a investir e lidar com um número maior de pessoas se interessando com seus produtos e serviços, você tem muito mais informação pra poder corrigir processos de vendas e começar a funcionar melhor, vender mais”, aponta.

Importante dizer que todas essas estratégias de tráfego visam primeiramente ajudar pessoas que estão precisando dos serviços que você oferece. Portanto, quando alguma campanha termina com um baixo resultado, é necessário aprender o que deu errado para recomeçar da maneira assertiva e alcançar as pessoas certas.

Como começar a aprender sobre tráfego?

Fazer tráfego pra qualquer negócio hoje é indispensável. Qualquer empresa que fatura bem, independente do produto ou serviço, trabalha com distribuição paga. Então é interessante começar entendendo que você precisa do tráfego e quando começar a trabalhar com ele, não vai mais parar. Por isso:

  • Comece fazendo, mesmo que com pouco investimento;
  • Entenda o que você está esperando disso.

Começar a trabalhar com tráfego é uma questão matemática: você divide o quanto você poderá investir por mês e segmenta os clientes de acordo com o conteúdo que ainda não assistiram, ou que já receberam, conduzindo a pessoa dentro da história que você quer contar. Nas palavras de Mario, “a forma de começar é entender que se você não estiver aparecendo, alguém vai estar”.

Hoje em dia, nas redes sociais, a “briga” das companhias e influencers é por garantir espaço no tempo, na memória e no dia a dia do público. Quanto mais estiverem em evidência, mais serão lembrados.

Se esta estratégia funciona para celebridades que muitas vezes não têm sequer algo muito incrível a oferecer, imagine para um videomaker com produtos e serviços super interessantes para diferentes tipos de público?

Por onde começar a trabalhar com tráfego

Uma das partes mais interessantes deste vídeo acima é quando Maurício pergunta a Mario por onde ele começaria hoje, que tipo de atitudes tomaria sem conhecer muito da área. Mario separa sua explicação em duas partes interessantes que vamos listar abaixo:

1. Investir, mesmo que pouco

Mario diz que a primeira coisa que faria é separar uma verba mínima por dia para trabalhar nesse tipo de divulgação. “Enquanto eu estiver me colocando no mercado como criador ou criador de vídeo, eu vou investir nem que seja 5 reais por dia”, diz.

Isso vai ser a base que vai ajudar seu perfil a crescer e ser conhecido por mais pessoas.

2. Criar uma sequência de vídeo

Para trabalhar esta sequência, você deveria criar um primeiro vídeo que forneça sensações e não necessariamente precise de muitas explicações ou mesmo de um personagem falando. De qualquer forma, você pode usar um personagem no meio das cenas de cobertura que apresentar. Isso funciona para quando esse personagem realmente tiver que aparecer falando ao público, não cause certa aversão.

O segundo vídeo conta seu propósito e o que você faz. Aqui é legal entrar sua história profissional, algumas curiosidades. Entender que existem pessoas interessadas no que você faz é essencial nessa parte. Pense bem em algo que possa resumir seu trabalho e exponha isso.

Já no terceiro vídeo você pode trabalhar a prova social, com histórias de clientes, depoimentos, entre outros. Alguns teasers, pessoas sorrindo, clientes que demonstram gratidão pelos resultados que você alcançou. Enfim, qualquer coisa que valide o seu trabalho enquanto videomaker.

Vender não é errado

Oferecer um serviço significa também estar a serviço. Contudo, se você não mostra o seu serviço para outras pessoas, você está a serviço de quem, afinal de contas? “Você só pode estar a serviço quando alguém está sabendo que pode contratar seus serviços. Se ninguém está sabendo, qual é a lógica?”, reflete Mario.

Criar anúncios ou trabalhar estratégias de tráfego e venda de serviços pode parecer uma ideia estranha para alguns profissionais de vídeo. Porém, contar a sua história investindo o fôlego financeiro que você tiver disponível terá o poder de, ao longo do tempo, criar uma bola de neve positiva sobre seu negócio, talvez até um excesso de demanda.

Um outro ponto importante é o fator de risco. Ao trabalhar por conta própria e se colocar no mercado, você automaticamente assume um risco diferente da pessoa que tem um emprego fixo, por exemplo. Fazer tráfego e investir dinheiro em anúncios não quer dizer que você vai fazer dinheiro da noite para o dia, mas é uma aposta que só tem benefícios a longo prazo.

Trabalhar com tráfego torna essencial a atividade de mensurar os dados. Isso serve para entender quando uma campanha vai bem e fazer o que for necessário para alterar seus anúncios ou mesmo processos de venda quando a campanha vai mal.

“O tráfego é simplesmente você ter quase que a garantia de que as pessoas vão escutar o que você quer falar para elas.”

–Mario Lellis

Tipos de anúncios

O Facebook já criou uma forma de divulgação de conteúdo que é relativamente baseada no que Mario falou sobre a história que você procura contar para o seu público.

Em primeiro lugar, o brand awareness e alcance, ou seja, o despertar da consciência das pessoas para você enquanto produtor de vídeos ou como marca; depois o tráfego, que leva a pessoa até o seu site ou até o seu perfil para assistir um outro vídeo; e, por último, a conversão, o momento de chamar o cliente para comprar os seus serviços ou produtos.

Para estes anúncios, é necessário criar várias campanhas que devem funcionar no momento em que cada pessoa está se encaixando na sua história. Isso quer dizer manter uma estratégia segmentada, mostrando o conteúdo certo para o público-alvo certo.

Você precisa vender

Por mais que isso possa parecer estranho num primeiro momento, é fundamental entender, enquanto criador de vídeo, que você precisa vender o seu trabalho e estar à disposição para conversar.

Investir em anúncios, em distribuição paga é uma necessidade que você deve evitar brigar contra. Especialmente porque se você não entrar nessa, vai abrir caminho para outra pessoa entrar e conquistar um espaço que poderia ser seu. Imagine quantos futuros clientes estão ficando sem a sua ajuda porque você não está investindo 5 reais num anúncio?

Obviamente existem diferentes tipos de clientes para diferentes casos. Nem todo o seu público será seu cliente. Contudo, você deve se preocupar com aquelas pessoas que você poderá ajudar no processo, não com aquelas que não se interessam pelo seu trabalho.

Então comece a educar o público ao seu favor. Conte a sua história, mostre seu trabalho. Reserve sempre um tempo para conversar com as pessoas, entender as necessidades, fazer follow-up de jobs anteriores, enfim. Esteja presente e, mais do que isso, esteja disponível.

Espero que tenha gostado das dicas! E não se esqueça de acompanhar o canal da OZI no YouTube para receber mais conteúdos interessantes para a sua carreira como videomaker e criador de vídeo. Até a próxima!

Deixe o seu comentário