CARREIRA CATEGORIAS CINEMA DICAS

6 DICAS DE UM COLORISTA DE HOLLYWOOD

16 de janeiro de 2020

author:

6 DICAS DE UM COLORISTA DE HOLLYWOOD

Fala galera! Todos nós sabemos que a pós-produção é um processo muitas vezes indispensável para a produção de vídeos, especialmente o trabalho do colorista. Sobretudo quando você está usando imagens mais lavadas que exigem um tratamento de cor adequado para chegar ao seu melhor resultado.

Afinal de contas, o tratamento de cor é essencial para definir a identidade visual de um projeto. Apesar de existir algmas formas mais simples de atuar nesse sentido, este processo é muito mais do que ajustar a cor de um filme ou consertar coisas na pós-produção.

Para o colorista da Encore Hollywood Asa Fox, o termo “tratamento de cor” é relativamente mal interpretado. Isso porque você não está apenas corrigindo problemas: “você está criando uma aparência desde o início”.

Confira abaixo alguns pontos tratados pelo colorista que fala sobre algumas técnicas e diretrizes no tratamento de cores que você pode aplicar em qualquer produção, independente do seu orçamento.

1. Antes de tudo, defina uma aparência

Não importa quem está definindo a aparência criativa, seja você, o diretor ou outra pessoa da equipe. De qualquer forma, existem truques para ajudar a compartilhar as preferências de cores e a aparência.

Você pode usar quadros de humor ou criar referências a partir de filmes e televisão para ajudar a definir sua aparência (é aqui que compensa toda aquela maratona no Netflix). Por exemplo, dois filmes que aparecem frequentemente como referências para Fox são “No Country for Old Men” e “Drive”.

“‘No Country for Old Men’ foi usado como referência e pode ser caracterizado por destaques cremosos e tons quentes; um visual bastante forte, mas naturalista ao mesmo tempo”, afirma Fox. Quanto ao “Drive”, o filme tem “muitos vermelhos, verdes e cores intensas e realmente usa os tons mistos das luzes da cidade de Los Angeles”, conclui.

Como você pode esperar, determinar e esclarecer o máximo de informações possível desde o início do projeto e coletar informações relevantes de produção durante as filmagens, são ações que vão ajudar no trabalho. “Em um mundo ideal, haveria uma sessão de teste e algumas avaliações iniciais, para que você definisse a aparência do filme com o diretor antes mesmo de começar”, diz Fox.

2. Garanta uma excelente qualidade de cor

Conseguir ótimas notas de cores é o resultado de ótimas práticas no set. Isso inclui ter um design de alta produção, configurar ótima iluminação, filmar em log (que permite a faixa dinâmica máxima), usar pelo menos subamostragem de croma 4: 2: 2 (melhor 4: 4: 4: melhor) e monitorar seu trabalho no set.

“Se você usar um bom monitor rec709 calibrado no set, poderá identificar muitos problemas e trocar a camisa branca brilhante ou o suéter vermelho saturado para algo que melhor se adapte ao tema que você está tentando alcançar”, explica Fox.

3. Estude e observe

De acordo com Asa Fox, habilidades de edição, conhecimento de câmera e habilidades de observação são fundamentais. Ou seja, ter uma experiência como editor assistente (familiarizado com edições em conformidade, offline para online, EDLs, etc), conhecimento de software em cores (Baseline, Nucoda, DaVinci) e uma compreensão da cor (teoria das cores, aplicações artísticas, etc) é um bom começo.

A boa notícia é que você pode trazer todo o seu conhecimento da edição para a sala de cores, incluindo como se conformar e como trabalhar com taxas de quadros comuns. “Você não pode conseguir um emprego como assistente de cores sem entender como ser um Editor Assistente”, observa Fox. “Uma função do Editor Assistente fornecerá a maioria das ferramentas necessárias para ser um assistente de cores, além da compreensão da cor. Tanto quanto você precisa saber como colorir, também precisa saber o que é uma EDL, o código de tempo e como conformar os materiais com taxa de quadros mista”, finaliza.

Você também precisa saber como as coisas funcionam no lado da produção. Conhecer sobre câmeras e como elas funcionam em conjuntos de pós-produção, de câmeras a codecs e profundidade de bits.

Fora da sala de edição, simplesmente prestar atenção em seus ambientes pode ajudar a desenvolver seu cérebro criativo em cores. “Observe o mundo natural e como a luz reflete e afeta tudo em diferentes momentos do dia e situações”, sugere Fox. “Ver as mudanças e realmente observar profundamente fará com que você seja bom em obter uma aparência forte que retenha um elemento natural e ajude a criar um clima apropriado para uma determinada cena”, afirma.

4. Considere o tratamento de cor não importa o seu orçamento

Se você está pensando em colorir o seu projeto e acreditamos que sim, não deixe de entrar em contato com as instalações de cores. De acordo com Fox, “a primeira coisa que você deve fazer é entrar em contato com algum colorista profissional e ver se eles podem fazer seu orçamento funcionar. Quanto mais interessante o projeto ou tópico ou melhor o projeto, maior a probabilidade de eles trabalharem com você”, diz.

Por exemplo, a Encore coloriu os curtas-metragens criados no programa Film Independent Short Film Fellowship deste ano. “Se você se mostrar promissor como cineasta, provavelmente será capaz de desenvolver um relacionamento com uma instalação e seu projeto se beneficiará enormemente desse relacionamento, assim como todos os seus futuros projetos”.

Quanto a fazer você mesmo, a Fox não recomenda isso. “Eu nunca recomendaria que a primeira linha de ação de alguém fosse tentar colorir alguma coisa. Essa é uma maneira infalível de fazer com que seu projeto pareça com um orçamento baixo”. Ainda assim, se você assumir essa responsabilidade no seu projeto pessoal, deve usar pelo menos um monitor de referência profissional. Um modelo que permita separar seu projeto da visualização. Se você está pensando em comprar um monitor e está com um orçamento limitado, a Fox recomenda os modelos LG C série 55 que, nas palavras dela, “fazem um trabalho decente quando calibrados adequadamente”.

5. Colorir é um processo social

Apesar do fato de que a edição e o tratamento de cor geralmente acontecem a portas fechadas (devido às necessidades de iluminação e calibração), a Fox promete que o trabalho do colorista é, em última análise, um processo muito social. “Você está tentando alcançar algo com a visão de outra pessoa que pareça boa para você, para eles e para o mundo. E é uma negociação criativa e divertida”.

6. Olhe os próximos líderes

Como videomakers e criadores, somos sempre inspirados por outros profissionais. Admiramos o trabalho de ícones e lendas. Fox lembra que a próxima pessoa que todos procuraremos por inspiração e padrões criativos, pode realmente estar ao seu lado, e não à sua frente.

“Os grandes nomes com os quais você trabalhará são seus contemporâneos, não as pessoas que eram um grande nome quando você estava na escola. Seus contemporâneos são seus colegas de classe e as pessoas com quem você trabalhará à medida que crescer”, aponta.

Legal, não é mesmo? O trabalho do colorista é uma arte com diversas necessidades e um dos processos criativos que vai primeiro visualizar seu vídeo “pronto”. Portanto é de extrema importância dar atenção a esta fase do trabalho para que o resultado de toda a produção seja excelente.

Espero que tenha gostado. Não se esqueça de acompanhar o canal da OZI no YouTube para receber mais conteúdos interessantes para a carreira de videomaker. Até mais!

Deixe o seu comentário