CARREIRA CATEGORIAS DICAS EDIÇÃO FILMAGEM PRODUÇÃO

DOCUMENTÁRIO: 5 TRUQUES PARA MELHORAR O FLOW

20 de janeiro de 2020

author:

DOCUMENTÁRIO: 5 TRUQUES PARA MELHORAR O FLOW

Olá, pessoal! Trabalhar com documentários é sempre uma surpresa. Muitas vezes o assunto é extremamente interessante e cativante, o que naturalmente levará o público a investir tempo assistindo seu conteúdo. Entretanto, se você estiver trabalhando em um projeto de documentário que está começando a ficar entediante, existem algumas saídas para não deixar o produto final pouco atrativo.

Documentários podem lidar com questões séria e de interesse público. Não são conteúdos chatos por definição. Eles podem ser complexos, evoluídos, com um flow lento e uma duração mais longa. De qualquer forma, o que eles não precisam ser é chatos de assistir.

O objetivo principal de qualquer bom documentário é – em primeiro lugar – informar. No entanto, para informar bem o público, é necessário reunir algo que possua todos os elementos do entretenimento atraente. E, como os documentários são um gênero de cinema, muitos dos mesmos truques e técnicas que se aplicam à narrativa narrativa também podem ser aplicados aqui.

Trabalhe na história e estrutura do documentário

Muitos dos problemas de um documentário difícil de assistir vem de problemas com a história e sua estrutura. O mesmo acontece com projetos de filmes narrativos. Contudo, isso funciona também para documentários, que dependem muito mais desses elementos.

Se você está apenas começando no seu projeto ou se aprofundando no processo de edição, pergunte a si mesmo o seguinte: Se você sentasse com caneta e papel, poderia escrever (ou esboçar) toda a história e estrutura do seu filme?

Se não, por que não? Tomar um momento para se concentrar na narrativa pode ajudar imensamente no trabalho. A partir daí, seu trabalho torna-se transmitir essa história para o público.

Animar ou ilustrar quando necessário

A ideia de adicionar ilustrações ou animações personalizadas a um projeto documental pode ser muito atraente para os documentários. Isto é especialmente verdade para documentários que dependem excessivamente de entrevistas com pouca ação ou imagens de cobertura.

De muitas maneiras, é quase como o toque mágico, às vezes, porque você pode exibir informações visuais (e muitas vezes informativas) que você nunca teve a oportunidade de filmar.

No entanto, o uso excessivo de animações ou ilustrações é algo que é preciso evitar – e pode se tornar caro e demorado, dependendo do número e da qualidade das ilustrações e animações.

Adicionar movimento e transições

Além de animar ou ilustrar imagens de cobertura, outros truques menores de edição podem ser bastante úteis para acelerar sequências e tornar o tom e o estilo geral um pouco mais atraentes. Para suas tomadas de entrevista estáticas padrão, considere adicionar mais ângulos ou movimentos – se isso significa sliders, dollies ou até mesmo movimentos mais sutis.

As transições também podem se tornar engraçadas, depois de um tempo. Contanto que você o faça isso com bom gosto e sem criar uma distração, você sempre poderá adicionar diferentes elementos de transição nas composições da cena ou na edição.

Meios alternativos

Outra questão que você costuma encontrar com documentários chatos é uma abertura clara da história antes do previsto. Sim, a exposição é uma parte importante da narrativa, mas apenas porque você deseja que seu documentário seja informativo não significa que você precisa ser abrangente desde o início. Considere deixar o mistério da sua história se desenvolver em algumas áreas.

Às vezes, tudo o que você precisa para fazer um documentário atraente é algumas frases em uma tela preta para fornecer a informação que você realmente precisa.

Faça aqueles cortes difíceis no documentário

Finalmente, do ponto de vista do cinema, os documentários são notórios por exigir toneladas e toneladas de filmagens. Por conta da quantidade de tempo que os documentaristas passam filmando e compilando todas essas filmagens para a edição, pode ser muito mais difícil tomar decisões criteriosas sobre o que cortar e quanto tempo a versão final deve ser.

No fim das contas, você prefere que alguém diga “Eu gostaria que fosse mais longo” do que “Eu gostaria que fosse mais curto”. E, na era atual de conteúdo online facilmente disponível, uma boa saída é fazer outra parte posteriormente, para oferecer mais conteúdo ao seu público.

É interessante pensar em formato de documentário, especialmente neste último ponto. Dizer que você não precisa usar tudo o que a sua história oferece de interessante num primeiro momento pode parecer estranho, mas pode ser uma saída para deixar seu conteúdo mais fluído e interessante ao público.

Espero que tenha gostado. E você, já participou de algum projeto de documentário? Conta pra gente como foi a experiência. E não se esqueça de acompanhar o canal da OZI no YouTube para receber mais dicas e informações sobre o universo do audiovisual.

Até a próxima!

Deixe o seu comentário