CARREIRA CATEGORIAS DICAS PRODUÇÃO

3 FORMAS DE PRECIFICAR SEUS VÍDEOS

19 de maio de 2020

author:

3 FORMAS DE PRECIFICAR SEUS VÍDEOS

Fala, pessoal! Existem poucos tópicos na carreira de qualquer videomaker que sejam tão pesquisados ​​ou discutidos como a hora de precificar os serviços. Muitos videomakers profissionais e criativos de todas as áreas passam inúmeras horas lendo posts, livros e assistindo a vídeos para descobrir como colocar valor no seu trabalho.

Em diferentes níveis, estar preparado para atuar nessa parte dos negócios é interessante mesmo para quem trabalha como freelancer. Existem algumas maneiras que são mais eficazes na hora de precificar o seu trabalho e é sobre isso que vamos falar neste post.

Em primeiro lugar é importante observar que estas dicas de como precificar o serviço, ou como cobrar pelos seus vídeos, devem funcionar mais para profissionais liberais e autônomos. Isso porque em algumas funções no mercado do cinema e da televisão podem ser estabelecidos valores baseados em sindicatos e na tabela do setor audiovisual.

Mesmo assim, algumas dessas dicas podem ajudar você na hora de precificar alguns trabalhos, cobrindo seus custos de produção e uma taxa justa pela experiência, qualificação e mão de obra envolvida. Confira abaixo:

1. Pacotes de vídeos

Muito do trabalho que você faz provavelmente pode ser empacotado e se tornar um pacote de vídeos. Em outras palavras, você pode vender lotes completos de serviços que você sabe que podem ser facilmente criados em poucas diárias. Alguns exemplos podem ser:

  • Vídeos curtos de divulgação: Desde a filmagem até a edição, você pode utilizar modelos relativamente parecidos para criar vídeos para diferentes plataformas. Por exemplo, dependendo do seu enquadramento, um vídeo pode ser utilizado tanto para o youtube, quanto para o IGTV.
  • Montagens: Muitos anfitriões gostam de fornecer esse tipo de conteúdo a amigos e familiares em casamentos, festas de aniversário, entre outros eventos pessoais e corporativos.
  • Configurar canais do YouTube: O YouTube é uma experiência incrível para pequenas e médias empresas. Contudo, mesmo alguns departamentos experientes de grandes empresas podem ficar confusos sobre tudo o que é necessário para configurar e usar adequadamente um canal do YouTube. Se você conhece tudo sobre o assunto, desde as dimensões das artes do canal até como configurar uma lista de reprodução e criar modelos, ofereça tudo isso em seu pacote;
  • Distribuição: Esse é um assunto que merece bastante atenção e pode levar o seu trabalho para o próximo nível. Portanto, procure oferecer como parte do seu serviço. Isso vai ajudar a precificar melhor a seu favor cada produção. Aproveite e leia o post campanhas de tráfego e estratégias para conseguir mais clientes onde falamos melhor sobre este assunto.

No fim das contas, o principal requisito é descobrir exatamente as horas e os recursos necessários para o que você planeja produzir. Em seguida, entenda que tipo de serviços você poderá incluir para ajudar a gerar resultados junto da produção de vídeo.

2. Trabalhos recorrentes

Se você tiver a sorte de encontrar clientes com necessidade de trabalho recorrente, poderá bolar um contrato mensal. Aqui o cliente paga um valor mensal predeterminado em troca de um número de horas também combinado. Essas horas podem ser alocadas no entanto, de acordo com a necessidade de cada cliente. Trabalhos como este incluem:

  • Igrejas que precisam de edição de vídeo para sermões semanais;
  • Canais de notícia locais que precisam de promoções;
  • Pequenas empresas ou influencers com canal do YouTube que precisam de vlogs semanais editados e postados;
  • Empresa de viagens que publica vídeos de dicas e avaliações de países e pontos turísticos.

Como foi dito acima, contratos desse tipo geralmente são baseados em uma carga horária predeterminada. Você deve pensar, com a ajuda do cliente, exatamente o que será feito por eles mensalmente, e cobrar uma taxa mensal com base nesse trabalho.

Neste caso é ideal usar um valor padrão para obter esse valor mensal, com base no tempo que você acha que o trabalho deve durar. Entretanto, é importante entender que, uma vez que decidimos o valor, ele não muda. Em qualquer mês, se você demorar mais ou menos tempo para concluir as atividades prescritas, o cliente paga o mesmo. A única maneira de a taxa mudar é se o escopo (e, por consequência, o contrato) mudar.

O benefício de um sistema como esse é que você acaba com a chance de um cliente tentar negociar valores menores. Assim você propõe uma lista na qual ele pode eliminar o que ele considerar irrelevante.

Você pode oferecer, por exemplo, uma quantidade de minutos de vídeo editados, monitoramento de SEO, reuniões semanais e produção semanal de conteúdo para redes sociais. Independentemente do tempo que levar para produzir esses conteúdos, o valor será sempre o mesmo.

3. Precificar baseado em resultados

Diferentes profissionais cobram diferentes valores. Isso é baseado em experiência e qualidade de trabalho, em linhas gerais. Mas como ajudar o cliente a enxergar o valor do seu trabalho?

A resposta aqui é relativamente simples: você precisa mostrar o sentido objetivo que existe em contratar a sua empresa pela quantia que você está sugerindo. Uma grande saída é mostrar que resultados o cliente poderá chegar com o seu vídeo.

Se o trabalho que você fizer puder ser quantificado de maneira a facilitar para o cliente chegar a um valor realista, você poderá extrair disso um valor que provavelmente será maior do que você cobraria. Veja abaixo alguns exemplos de como isso pode acontecer:

  • Mostrar a uma ONG quanto dinheiro um vídeo pode ajudá-los a angariar;
  • Determinar quantas vendas um vídeo pode ajudar a fechar;
  • Determinar quantos clientes em potencial um vídeo pode atrair. Em seguida, com base na porcentagem de conversões recebidas de um público-alvo”, deduza quais vendas podem ser criadas a partir esse vídeo.

Procure descobrir junto ao seu cliente quais os resultados que ele precisa e, em seguida, monte seu preço em conformidade. Usando essa metodologia, a quantia que você cobra para um cliente pequeno será menor do que para uma grande companhia, ainda que a quantidade de trabalho seja a mesma.

Este pode ser talvez o conceito mais complicado de adotar, uma vez que é difícil provar que resultados os clientes poderiam chegar com o seu conteúdo, mas é importante entender que cativar por meio de resultados é um dos maiores trunfos para fechar contratos.

Como você avalia o seu trabalho?

Em resumo, todos nós queremos poder cobrar uma taxa que nos permita fazer o que amamos e permanecer nos negócios (apesar das pandemias em todo o mundo).

Espero que tenha gostado das dicas e que possa colocar em prática algumas delas. Conta pra gente nos comentários como você faz para precificar o seu trabalho. E não se esqueça de inscrever no canal da OZI no YouTube para receber mais conteúdos para aprimorar a sua carreira.

Até a próxima, pessoal!

Deixe o seu comentário