CARREIRA CATEGORIAS DICAS NOTÍCIAS PRODUÇÃO

INSIDE TV: CONSUMO DE CONTEÚDO EM VÍDEO

13 de março de 2020

author:

INSIDE TV: CONSUMO DE CONTEÚDO EM VÍDEO

Fala pessoal! Essa semana saiu o resultado de uma pesquisa super interessante sobre o consumo de vídeo tanto na TV quanto em outras plataformas. Feita pela Kantar Ibope Media, o relatório traz indicadores que podem ajudar muito a pensar melhor sobre a atividade e os campos de atuação do videomaker em 2020.

Esta pesquisa utiliza tecnologia aplicada a indicadores sociais para fundamentar cada parâmetro. “A Kantar IBOPE Media tem a tecnologia e metodologia para entregar uma medição de audiência de TV e vídeo em todas as plataformas e dispositivos, combinando dados de painel com dados censo digitais por meio das tecnologias de meter (People Meter e Focal Meter), tecnologia de reconhecimento de conteúdo digital (vídeo tagging), integração direta com dados censo de terceiros e avançadas técnicas de Data Science”, relata Amanda Signorini, International Business Development Director da Kantar Ibope Media.

Abaixo, nós fizemos uma lista dos pontos mais importantes deste relatório sobre consumo de vídeo. Entretanto, caso esteja interessado, você pode ainda baixar o conteúdo completo clicando neste link.

WhatsApp ou YouTube?

Bom, antes de mais nada é necessário dizer que estes indicadores são como um bom norte para a profissão. Contudo, não são regras, eles apenas apontam algumas direções especialmente para nós que trabalhamos diretamente com conteúdo em vídeo.

Por outro lado, vale também notar como a TV aberta ainda obtém o maior espaço no consumo de vídeo. Poderia ser seguida pela rede mais famosa e especializada em vídeos, mas em swgundo lugar está o WhatsApp.

Muito por conta de suas facilidades de compartilhamento e troca de mensagems ou conteúdo, o WhatsApp é diariamente utilizado por pessoas para obter informações, notícias ou mesmo para entretenimento.

Shopvertising

O termo Shopvertising é uma inteligente fusão das palavras “compra” e “propaganda”. Mas o que isso significa? São anúncios compráveis, nos quais o público não precisa sequer sair do aplicativo.

O relatório traz como exemplo um anúncio criado pela NBC com um QR code simples que obteve mais de 50 mil acessos nos primeiros cinco minutos.

Surpreendente, não? Com a popularização da segunda tela, ou seja, pessoas que assistem TV enquanto navegam pelo celular, essa é uma tendência de mercado que pode crescer muito nos próximos anos.

Investimento das marcas

Um outro parâmetro interessante é a quantidade de novas marcas investindo em TV. Em 2019 foram quase 15 mil. Houve ainda um aumento de 48% de marcas “pure digital”, aquelas cujo negócio é nativo digital.

O investimento bruto na TV saltou de R$ 2,89 milhões para R$ 4,7 milhões.

Índice de intensidade

De alguns anos pra cá, conhecemos o FOMO (Fear of missing out), uma doença que fala sobre o medo de estar perdendo algo enquanto estamos desconectados da internet.

Contudo, isso também acontece na TV, quando se trata de programas ao vivo. O índice de intensidade mostrado no relatório diz que as novelas ainda lideram, seguidos por programas de auditório e shows.

Além do demográfico

Uma frase interessante está na última página deste relatório. “Comportamentos e esferas de influência precisam ser estudados para que o conteúdo seja relevante e a experiência com a publicidade potencializada”.

Esta é uma forma de dizer também ao criador de conteúdo, ao videomaker, ao responsável pela produção de vídeo para TV que uma das melhores formas de conquistar bons resultados com vídeos para TV ainda é fazer a lição de casa da pesquisa de público-alvo e saber exatamente com quem você está se comunicando.

O relatório Inside TV fala sobre as influências, experiência e as novas dimensões de vídeo. É uma excelente bússola para quem trabalha com publicidade para TV e também para outras mídias. Além disso ensina a pensar melhor sobre o mercado de vídeo no país e algumas saídas que podemos encontrar pela frente.

Espero que tenha gostado. Não se esqueça de acompanhar o canal da OZI no YouTube e no Telegram para receber mensagens exclusivas e muito mais conteúdo relacionado ao universo dos videomakers.

Até mais!

Deixe o seu comentário